Quando Jesus Cristo viveu na Terra, estabeleceu Sua Igreja, a única Igreja verdadeira. Ele a organizou de modo que as verdades do evangelho fossem ensinadas a todas as pessoas, e as suas ordenanças administradas corretamente com autoridade. Por meio desta organização, Cristo poderia trazer as bênçãos de salvação para a humanidade.

Após a ascensão do Salvador aos céus, os homens mudaram as ordenanças e doutrinas que Ele e Seus Apóstolos haviam estabelecido. Devido à apostasia, não havia mais revelação direta de Deus. A verdadeira igreja não estava mais sobre a Terra. Os homens organizaram igrejas diferentes que clamavam ser verdadeiras, mas ensinavam doutrinas conflitantes. Havia muita confusão e contenda sobre religião. O Senhor havia previsto essas condições, dizendo que haveria "fome sobre a terra; não fome de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do Senhor. (...) Correrão por toda a parte, buscando a palavra do Senhor, mas não a acharão." (Amós 8:11-12)

O Salvador prometeu que restauraria Sua Igreja nos últimos Dias. Disse Ele: "Continuarei a fazer uma obra maravilhosa no meio deste povo, uma obra maravilhosa e um assombro." (Isaías 29:14)

Por muitos anos as pessoas viveram na escuridão espiritual. Aproximadamente 1700 anos depois de Cristo, as pessoas começaram a se tornar cada vez mais interessadas em conhecer a verdade sobre Deus e sobre religião. Algumas puderam ver que o evangelho que Jesus pregou não estava mais sobre a Terra. Outras reconheciam que não havia mais revelação, nem autoridade verdadeira, e que a igreja que Cristo organizara não mais existia sobre a Terra. Chegara o tempo da restauração da Igreja de Jesus Cristo ao mundo.

Na primavera de 1820, ocorreu um dos mais importantes acontecimentos da história. Havia chegado a hora da obra maravilhosa e do assombro que o Senhor mencionara. Ainda apenas um rapaz, Joseph Smith desejava saber qual de todas as igrejas era a verdadeira Igreja de Cristo. Assim, retirou-se para um bosque perto de sua casa e orou humilde e intensamente ao Pai Celestial, perguntando-Lhe a qual igreja deveria filiar-se. Naquela manhã, uma coisa maravilhosa aconteceu: o Pai Celestial e Jesus Cristo apareceram a Joseph Smith. O Salvador lhe disse que não se filiasse a nenhuma igreja, porque a igreja verdadeira não estava na Terra. Também lhe disse que os ensinamentos dessas igrejas eram "uma abominação à Sua vista" (Joseph Smith 2:19; ver também 2:7-20). A partir desse acontecimento, começou a haver novamente revelações do céu. O Senhor havia escolhido um novo profeta. Desde esse tempo, o céu não se fechou mais. A revelação continua até os nossos dias por intermédio de cada um dos profetas escolhidos. Joseph ajudaria a restaurar o verdadeiro evangelho de Jesus Cristo.

Ao ser restaurado o evangelho, Deus concedeu novamente o sacerdócio aos homens. João Batista veio em 1829 e ordenou Joseph Smith e Oliver Cowdery ao Sacerdócio Aarônico. (Ver D&C 13; 27:8.) Depois, Pedro, Tiago e João, a presidência da Igreja nos tempos antigos, vieram e conferiram a Joseph e Oliver o Sacerdócio de Melquisedeque e as chaves do reino de Deus. (Ver D&C 27:12-13.) Mais tarde, foram restauradas chaves adicionais do Sacerdócio por mensageiros celestiais como Moisés, Elias e Elias. (Ver D&C 110:11-16.) Por intermédio da Restauração, o sacerdócio foi devolvido à Terra. Aqueles que possuem esse sacerdócio hoje têm autoridade para realizar ordenanças tais como o batismo. Possuem também autoridade para dirigir o reino do Senhor na Terra.

Em 6 de abril de 1830, o Salvador dirigiu novamente a organização de Sua Igreja sobre a Terra. (Ver D&C 20:1.) Chama-se a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. (Ver D&C 115:4.) Cristo é o cabeça da Igreja hoje, assim como nos tempos antigos. O Senhor disse que ela é "a única igreja viva e verdadeira sobre a face da terra, com a qual, eu, o Senhor, me deleito." (D&C 1:30)

Joseph Smith foi apoiado como Profeta e "primeiro élder" da Igreja. (Ver D&C 20:2-4.) Mais tarde, foi organizada a Primeira Presidência, e ele apoiado como Presidente. Quando a Igreja foi organizada, estabeleceu-se apenas a estrutura. A organização completou-se nos anos seguintes.

A Igreja foi organizada com os mesmos ofícios existentes na Igreja antiga. Aquela organização incluía Apóstolos, profetas, setentas, evangelistas (patriarcas), pastores (oficiais presidentes), sumos sacerdotes, élderes, bispos, sacerdotes, mestres e diáconos. Esses mesmos oficiais existem na igreja hoje. (Ver Regras de Fé 1:6.)

Um profeta, sob a direção do Senhor, dirige a Igreja. Esse profeta é também o Presidente da Igreja. Ele possui toda a autoridade necessária para dirigir o trabalho do Senhor na Terra. (Ver D&C 107:65, 91.) Dois conselheiros ajudam o Presidente. Doze Após-tolos, que são testemunhas especiais de Cristo, ensinam o evangelho em todas as partes do mundo. Outros oficiais gerais da Igreja com designações especiais são o Bispado Presidente e os Quoruns dos Setenta.

Os ofícios do Sacerdócio incluem Apóstolos, setentas, patriarcas, sumos sacerdotes, élderes, sacerdotes, mestres e diáconos. Esses são os mesmos ofícios que existiam na Igreja original.

A Igreja cresceu muito mais do que nos dias de Jesus. Na medida em que vai crescendo, o Senhor revela unidades adicionais de organização dentro da Igreja. Quando a Igreja está completa-mente organizada em uma área, possui divisões locais chamadas estacas. Um presidente e dois conselheiros presidem cada estaca. A estaca possui doze sumos conselheiros que ajudam a obra do Senhor na área. Os quoruns do Sacerdócio de Melquisedeque são organizados na estaca sob a direção do presidente da estaca. (Ver capítulo 14, "A Organização do Sacerdócio.")

Cada estaca é dividida em áreas menores chamadas alas. Um bispo e dois conselheiros presidem cada ala. Nas áreas do mundo onde a Igreja está crescendo, existem missões que são divididas em unidades menores chamadas distritos, ramos, ramos pequenos, grupos e famílias.

A Igreja hoje ensina os mesmos princípios e realiza as mesmas ordenanças que eram feitas no tempo de Jesus. Os primeiros princípios e ordenanças do evangelho são fé no Senhor Jesus Cristo, arrependimento, batismo por imersão e imposição das mãos para o dom do Espírito Santo. (Ver Regras de Fé 1:4.) Essas verdades preciosas foram devolvidas em sua plenitude quando a Igreja foi restaurada.

Pelo dom e poder de Deus, Joseph Smith traduziu o Livro de Mórmon, que contém as verdades claras e preciosas do evangelho. Seguiram-se muitas outras revelações que foram registradas como escrituras em Doutrina e Convênios e Pérola de Grande Valor. (Ver capítulo 10, "Escrituras.")

A seguir, encontram-se outras verdades importantes que o Senhor restaurou.

1. O Pai Celestial é uma pessoa real, com um corpo tangível de carne e ossos.

2. Existimos na vida pré-mortal como filhos espirituais de Deus.

3. O sacerdócio é necessário para administrar as ordenanças do evangelho.

4. Os homens serão punidos por seus próprios pecados e não pela transgressão de Adão.

5. As crianças não precisam ser batizadas, até que sejam responsáveis por suas ações (oito anos de idade).

6. Existem três graus de glória nos céus, e os homens serão re-compensados de acordo com suas obras na Terra.

7. Os relacionamentos familiares podem ser eternos, por meio do poder de selamento do sacerdócio.

8. A investidura e os selamentos no templo podem ser realizados tanto para os vivos como para os mortos.

Desde sua restauração, em 1830, a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias tem crescido rapidamente em número de membros. Existem membros em quase todos os países do mundo. A Igreja continuará a crescer. Como Cristo disse: "Este Evangelho do Reino será pregado em todo o mundo, para testemunho a todas as nações". (Joseph Smith-Mateus 1:31) A Igreja nunca mais será tirada da Terra. Sua missão é levar a verdade a todas as pessoas. Há milhares de anos, o Senhor disse que Ele "(levantaria) um reino que não (seria) jamais destruído; e este reino não (passaria) a outro povo (...) e (seria estabelecido) para sempre." (Daniel 2:44)

• Apocalipse 14:6; Daniel 2:44-45; Isaías 2:2-4; 2 Néfi 3:6-15 (predita a Restauração)

• D&C 110; 128:19-21; 133:36-39, 57-58 (restauração do evangelho)

• Efésios 2:20 (Jesus Cristo, a pedra de esquina da Igreja)

• D&C 20:38-67 (deveres dos oficiais da Igreja)

• Mateus 24:14 (o evangelho a ser pregado a todas as nações)

 

<< Capítulo 16

Sumário

Página Inicial

Capítulo 18 >>