Ap�s o batismo, todos n�s tivemos m�os colocadas sobre nossa cabe�a para recebermos o dom do Esp�rito Santo. Se formos fi�is, poderemos ter sua influ�ncia constantemente. Por seu interm�dio, cada um de n�s pode ser aben�oado com certos poderes espirituais chamados dons do Esp�rito. Esses dons s�o dados �queles que s�o fi�is a Cristo. Eles nos ajudam a conhecer e a ensinar as verdades do evangelho e a aben�oar os outros. Os dons do Esp�rito nos guiar�o de volta ao Pai Celestial. A fim de usarmos esses dons sabiamente, precisamos saber o que eles s�o, como desenvolv�-los e como reconhecer as imita��es que Satan�s faz deles.

As escrituras mencionam muitos dons do Esp�rito. Esses dons foram dados aos membros da Igreja verdadeira sempre que ela esteve sobre a Terra (ver Marcos 16:16-18). Os dons do Esp�rito s�o os seguintes:

�s vezes, h� necessidade de comunicarmos o evangelho em uma l�ngua que n�o conhecemos. Quando isso acontece, o Senhor pode nos aben�oar com a capacidade de falar essa l�ngua. Muitos mission�rios t�m recebido o dom de l�nguas, quando h� grande necessidade disso. Por exemplo: O �lder Alonzo A. Hinckley foi mission�rio na Holanda e entendia e falava muito pouco o holand�s, embora orasse e estudasse muito. Quando voltou certo dia a uma casa que j� havia visitado antes, uma senhora abriu a porta e falou com ele muito zangada em holand�s. Para sua surpresa, ele entendeu cada palavra que ela dizia. �lder Hinckley sentiu um grande desejo de prestar-lhe seu testemunho em holand�s, ent�o, come�ou a falar, e as palavras sa�ram claramente nessa l�ngua. Quando voltou para mostrar ao seu presidente de miss�o que podia falar holand�s, a capacidade de faz�-lo desapareceu. Muitos membros fi�is da Igreja t�m sido aben�oados com o dom de l�nguas. [Ver Joseph Fielding Smith, Answers to Gospel Questions, (Respostas a Perguntas do Evangelho), 2:32-33.]

 Algumas vezes, recebemos esse dom quando n�o entendemos uma l�ngua e necessitamos receber uma mensagem importante de Deus. Por exemplo: O Presidente David O. McKay teve um grande desejo de falar aos santos da Nova Zel�ndia sem um int�rprete e disse-lhes que esperava que o Senhor os aben�oasse para que o pudessem entender. Ele falou em ingl�s. Sua mensagem durou cerca de quarenta minutos. Na medida em que falava, via-se pela express�o do rosto das pessoas e por suas l�grimas que elas estavam recebendo a mensagem. [Ver Answers to Gospel Questions, (Respostas a Perguntas do Evangelho), 2:30-31.]

Se fomos chamados pelos l�deres da Igreja para traduzir a palavra do Senhor, podemos receber um dom para traduzir al�m de nossa capacidade natural. Assim como acontece com todos os dons, devemos viver em retid�o, estudar muito e orar para receb�-lo. Quando fazemos essas coisas, o Senhor nos faz sentir um ardor no peito quando a tradu��o est� correta (D&C 9:8-9). Joseph Smith possu�a o dom de tradu��o quando traduziu o Livro de M�rmon. Ele recebeu o dom apenas quando estava em sintonia com o Esp�rito.

Alguns de n�s foram aben�oados com a capacidade de entender as pessoas e os princ�pios do evangelho, conforme se aplicam em nossa vida. As escrituras dizem:

"E, se algum de v�s tem falta de sabedoria, pe�a-a a Deus, que a todos d� liberalmente, e n�o o lan�a em rosto, e ser-lhe-� dada.

Pe�a-a, por�m, com f�, em nada duvidando; porque o que d�vida � semelhante � onda do mar, que � levada pelo vento, e lan�ada de uma para outra parte.

N�o pense tal homem que receber� do Senhor alguma coisa." (Tiago 1:5-7)

O Senhor disse: "Buscai n�o as riquezas mas a sabedoria, e eis que os mist�rios de Deus vos ser�o revelados." (D&C 6:7)

Todos os que se tornam como o Pai Celestial, no final, conhecem todas as coisas. O conhecimento de Deus e de Suas leis � revelado pelo Esp�rito Santo (ver D&C 121:26). N�o podemos ser salvos se ignoramos essas leis (ver D&C 131:6).

O Senhor revelou: "Se uma pessoa por sua dilig�ncia e obedi�ncia adquirir mais conhecimento e intelig�ncia nesta vida do que uma outra, ela ter� tanto mais vantagem no mundo futuro." (D&C 130:19) O Senhor ordenou-nos que aprend�ssemos tanto quanto pud�ssemos sobre Sua obra. Ele deseja que aprendamos sobre o c�u, a Terra, o que j� aconteceu e o que ainda ir� acontecer, coisas de nossa terra e de terras estrangeiras (ver D&C 88:78-79). Todavia, existem aqueles que tentam ganhar conhecimento apenas por seu estudo e n�o pedem a ajuda do Esp�rito Santo. S�o aqueles que est�o sempre aprendendo, mas nunca chegam � verdade (ver II Tim�teo 3:7). Quando recebemos conhecimento por revela��o do Esp�rito Santo, Seu Esp�rito nos fala � mente e ao cora��o e sentimos a verdade ardendo dentro de n�s (ver D&C 8:2).

Algumas pessoas recebem a capacidade especial de explicar e testificar as verdades do evangelho. Esse dom pode ser usado quando damos uma aula e poder� ser usado pelos pais para ensinar os filhos. Esse dom tamb�m nos ajuda a instruir outras pessoas, para que compreendam o evangelho.

Esse tem sido o dom dos profetas e ap�stolos que foram chamados como testemunhas especiais de Jesus Cristo. Entretanto, outras pessoas tamb�m recebem esse dom. Todos podem ter um testemunho. Geralmente o testemunho vem pelos sussurros do Esp�rito Santo, mas pode vir tamb�m numa vis�o ou sonho. O �lder Orson F. Whitney teve uma vis�o do Salvador no Gets�mani na qual viu o grande sofrimento do Salvador, o que o fez chorar. Ent�o, o Salvador o tomou nos bra�os e o aben�oou. [Ver Briant S. Hinckley, The Faith of our Pioneer Fathers (A F� de Nossos Pais Pioneiros), pp. 211-13.]

Pelo poder do Esp�rito Santo, podemos conhecer a verdade de todas as coisas. Se desejarmos saber se uma pessoa est� falando a verdade, devemos perguntar a Deus com f�. Se aquilo sobre o que estamos orando for verdadeiro, o Senhor nos far� sentir paz (ver D&C 6:22-23). Dessa forma, poderemos saber quando algu�m, at� mesmo o profeta, recebeu uma revela��o. N�fi pediu ao Senhor que o deixasse ver, sentir e saber que o sonho de seu pai era verdadeiro (ver 1 N�fi 10:17-19).

Aqueles que recebem revela��es verdadeiras sobre o passado, o presente ou o futuro, possuem o dom da profecia. Os profetas gozam desse dom, mas n�s tamb�m podemos t�-lo para nos ajudar a governar nossa vida (ver I Cor�ntios 14:39). Podemos receber revela��es de Deus para n�s mesmos e para nossos chamados, mas nunca para a Igreja ou para os seus l�deres. � contr�rio � ordem dos c�us que uma pessoa receba revela��o para algu�m que esteja num grau maior de autoridade que o seu pr�prio. Se temos realmente o dom da profecia, n�o receberemos nenhuma revela��o que n�o esteja de acordo com o que o Senhor disse nas escrituras (ver Joseph Fielding Smith, Doutrinas de Salva��o, 3:205-6).

Algumas pessoas t�m f� para curar e outras para serem curadas. Todos n�s podemos exercitar a f� para sermos curados quando estamos doentes (ver D&C 42:48). Muitos que possuem o sacerd�cio t�m o dom de curar os doentes. A outros poder� ser dado o conhecimento de como curar doen�as.

Muitas vezes, o Senhor aben�oou o Seu povo de formas miraculosas. Quando os pioneiros de Utah fizeram suas primeiras planta��es, uma praga de gafanhotos quase as destruiu. Os pioneiros oraram para que o Senhor as salvasse e Ele lhes mandou gaivotas para comerem os gafanhotos. Quando precisarmos de aux�lio e pedirmos com f�, se for para nosso bem, o Senhor operar� milagres para n�s (ver Mateus 17:20; D&C 24:13-14).

O irm�o de Jarede tinha grande f� e, devido a essa f�, recebeu outros dons. Sua f� era t�o grande que o Salvador lhe apareceu (ver �ter 3:9-15). Sem f�, nenhum outro dom pode ser concedido. Mor�ni promete: "Todo aquele que crer em Cristo, sem de nada duvidar, tudo o que pedir ao Pai, em nome de Cristo, ser-lhe-� concedido." (M�rmon 9:21) Devemos procurar aumentar nossa f�, descobrir nossos dons e us�-los.

Algumas pessoas n�o t�m f� e negam a exist�ncia desses dons. A esses, Mor�ni diz:

"E novamente falo a v�s, que negais as revela��es de Deus e dizeis que elas cessaram, que n�o h� revela��es nem profecias nem dons nem curas nem o falar l�nguas nem interpreta��o de l�nguas;

Eis que eu vos digo que aquele que nega estas coisas n�o conhece o evangelho de Cristo; sim, n�o leu as escrituras e, se o fez, n�o as compreende." (M�rmon 9:7-8)

O Senhor disse: "Pois nem a todos s�o dados todos os dons; pois h� muitos dons, e a cada homem � dado um dom pelo Esp�rito de Deus. A alguns � dado um, a outros � dado outro, para que todos sejam assim beneficiados." (D&C 46:11-12)

Para desenvolver nossos dons, devemos procurar descobri-los. Fazemos isso orando e jejuando. Devemos procurar os melhores dons (ver D&C 46:8). Algumas vezes, as b�n��os patriarcais nos dizem quais os dons que recebemos.

Devemos ser obedientes e fi�is, a fim de recebermos dons e us�-los para fazer a obra do Senhor. Eles n�o nos s�o dados para satisfazer nossa curiosidade, ou para nos provar qualquer coisa porque temos falta de f�. Os dons devem ser usados para edificar o reino de Deus e para fortalecer nosso testemunho.

Satan�s pode imitar os dons de l�nguas, profecias, vis�es, curas e outros milagres. Mois�s teve que competir com as imita��es de Satan�s na corte do fara� (ver �xodo 7:8-22). Ele deseja que acreditemos em seus falsos profetas, falsos curandeiros e falsos fazedores de milagres. Eles podem parecer t�o reais para n�s que a �nica maneira de sabermos se s�o ou n�o de Deus � pedindo ao Pai o dom do discernimento. O pr�prio dem�nio pode aparecer como um anjo de luz (ver 2 N�fi 9:9).

Satan�s deseja cegar-nos, para que n�o enxerguemos a verdade e deixemos de procurar os verdadeiros dons do Esp�rito. M�diuns, astr�logos, pessoas que l�em a sorte e feiticeiros s�o inspirados por Satan�s, mesmo quando clamam seguir a Deus. Suas obras s�o abomin�veis ao Senhor (ver Isa�as 47:12-14; Deuteron�mio 18:9-10). Devemos evitar toda e qualquer associa��o com os poderes de Satan�s.

O Senhor disse: "Mas um mandamento lhes dou, que n�o se vangloriem com estas coisas, nem delas falem diante do mundo; pois estas coisas vos s�o dadas para o vosso proveito e para salva��o." (D&C 84:73) Devemos lembrar que os dons espirituais s�o sagrados.

O Senhor pede-nos apenas uma coisa em troca desses dons, dizendo: "Em esp�rito deveis render gra�as a Deus por todas as b�n��os com que sois aben�oados." (D&C 46:32)

� 3 N�fi 29:6-7 (destino daqueles que negam os dons)

� Mor�ni 10:7-19 (os dons dependem da f�)

� I Cor�ntios 12 (dons espirituais)

� Atos 10 (um dom concedido no batismo)

� D&C 46:9-26 (dons do Esp�rito)

 

<< Cap�tulo 21

Sum�rio

P�gina Inicial

Cap�tulo 23 >>