Desde os tempos de Ad�o, o povo de Deus tem jejuado na tentativa de aproximar-se mais Dele e de ador�-Lo. Jesus mostrou a import�ncia do jejum por Seu pr�prio exemplo (ver Lucas 4:1-4).

Por interm�dio das revela��es modernas, aprendemos que o Senhor ainda espera que Seu povo jejue e ore com freq��ncia (ver D&C 88:76).

Jejuar quer dizer n�o comer nem beber (ver Joseph F. Smith, Doutrina do Evangelho, pp. 221-22). O jejum ocasional � bom para o corpo e ajuda a mente a ficar mais ativa.

O Salvador nos ensinou que o jejum com prop�sito � mais do que apenas ficar sem comer e beber. Devemos concentrar-nos tamb�m em assuntos espirituais.

A ora��o � uma parte necess�ria do jejum. Nas escrituras, as refer�ncias ao jejum mencionam sempre a ora��o sincera. Devemos tamb�m orar ao iniciar e terminar o jejum.

O jejum pode ter muitos prop�sitos. Podemos sobrepujar fraquezas e problemas com jejum e ora��o. Algumas vezes, talvez queiramos jejuar e orar pedindo ajuda e orienta��o para outras pessoas, como um membro da fam�lia que esteja doente e necessite de uma b�n��o (ver Mosias 27:22-23). Por interm�dio do jejum, podemos vir a saber a verdade das coisas como fez o profeta Alma no Livro de M�rmon, quando disse: "Jejuei e orei durante muitos dias, a fim de saber estas coisas por mim mesmo. E agora sei por mim mesmo que s�o verdadeiras, porque o Senhor Deus mas revelou por seu Santo Esp�rito." (Alma 5:46)

Podemos jejuar para que nossos amigos n�o-membros convertam-se � verdade, por conforto em tempos de tristeza e luto (ver Alma 28:4-6). O jejum ajuda-nos a nos tornarmos mais humildes e nos sentirmos mais pr�ximos do Pai Celestial (ver Helam� 3:35).

O prop�sito do jejum n�o deve ser impressionar os outros. O Senhor aconselhou:

"E, quando jejuardes, n�o vos mostreis contristados como os hip�critas; porque desfiguram os seus rostos, para que aos homens pare�a que jejuam.

Em verdade vos digo que j� receberam o seu galard�o.

Tu, por�m, quando jejuares, unge a tua cabe�a, e lava o teu rosto.

Para n�o pareceres aos homens que jejuas." (Mateus 6:16-18)

Devemos ter express�es alegres quando jejuamos, n�o fazendo publicidade de nosso jejum para os outros.

Um domingo por m�s os santos dos �ltimos dias observam um dia de jejum. Nessa ocasi�o, n�o comemos nem bebemos por duas refei��es consecutivas, completando assim vinte e quatro horas de jejum. Se jantarmos no s�bado, n�o comeremos nem beberemos at� o jantar de domingo � noite.

Todos os que podem devem jejuar. Entretanto, "muitos est�o sujeitos a fraquezas, outros t�m sa�de delicada, e algumas mulheres est�o amamentando crian�as; a esses n�o devemos pedir que jejuem. Nem os pais devem compelir os filhos pequenos a jejuar." (Doutrina do Evangelho, p. 221.)

Devemos encorajar os filhos a jejuarem ap�s haverem sido batizados, mas nunca for��-los. O dia de jejum � um dia especial para nos humilharmos diante do Senhor em jejum e ora��o. � um dia para orarmos e pedirmos perd�o por nossos pecados e for�a para sobrepujar faltas e perdoar os outros.

No domingo de jejum, os membros da Igreja re�nem-se e participam do sacramento, fortalecendo-se uns aos outros e prestando testemunho na reuni�o sacramental.

Quando jejuamos todos os meses, o Senhor nos pede que ajudemos os necessitados, entregando � autoridade apropriada do sacerd�cio o alimento ou o dinheiro que ir�amos gastar nas duas refei��es. Devemos dar t�o generosamente quanto pudermos. Por meio das ofertas de jejum, tornamo-nos s�cios do Senhor em cuidar das necessidades de nossos irm�os e irm�s menos afortunados.

Isa�as, um profeta do Velho Testamento, escreveu a respeito das ricas promessas reservadas �queles que jejuam e ajudam os necessitados, tais como paz, sa�de melhor e orienta��o espiritual. Isa�as nos diz que, quando jejuamos: "Ent�o romper� a tua luz como a alva, e a tua cura apressadamente brotar�, e a tua justi�a ir� adiante de ti, e a gl�ria do Senhor ser� a tua retaguarda. Ent�o clamar�s, e o Senhor te responder�; gritar�s, e ele dir�: Eis-me aqui." (Isa�as 58:8-9)

O jejum melhora a nossa vida e nos d� for�a adicional, al�m de nos ajudar a viver outros princ�pios do evangelho, por aproximar-nos do Senhor.

O jejum nos ajuda a ganhar for�a de car�ter. Somente essa raz�o j� torna o jejum importante. [Ver David O. McKay, True to the Faith (Honesto para com a Verdade), p. 81.] Quando jejuamos da maneira certa, aprendemos a controlar os apetites, paix�es e temperamentos. Salom�o disse: "Melhor � o que tarda em irar-se do que o poderoso, e o que controla o seu �nimo do que aquele que toma uma cidade." (Prov�rbios 16:32) At� mesmo o jejum por apenas duas refei��es pode dar-nos uma sensa��o de sucesso. Tornamo-nos um pouco mais fortes por provarmos a n�s mesmos que temos autocontrole. Se ensinarmos nossos filhos a jejuar, eles desenvolver�o a for�a de vontade para sobrepujar maiores tenta��es mais tarde.

Quando jejuamos de modo s�bio e com esp�rito de ora��o, desenvolvemos f� e, com essa f�, temos mais poder espiritual. Por exemplo, Alma (o profeta do Livro de M�rmon) narra a hist�ria do seu reencontro com os filhos de Mosias muitos anos ap�s a convers�o miraculosa deles. Alma sentiu grande alegria quando soube que eles haviam fortalecido a f� e desenvolvido um grande poder espiritual. Eles ganharam esse poder, porque "haviam-se devotado a muita ora��o e jejum; por isso tinham o esp�rito de profecia e o esp�rito de revela��o" (Alma 17:3).

Os filhos de Mosias haviam estado pregando aos lamanitas por quatorze anos. Por terem jejuado e orado, o Esp�rito do Senhor aumentou o poder de suas palavras. Isso trouxe-lhes grande sucesso na obra mission�ria (ver Alma 17:4).

O Salvador disse a quem jejua da forma correta: "Teu Pai, que v� em secreto, te recompensar� publicamente." (Mateus 6:18)

� Lucas 2:37; Alma 45:1 (adora��o a Deus por meio do jejum)

� Mosias 27:19,23 (jejum pelos doentes)

� 3 N�fi 27:1-3; �xodo 34:27-28 (jejum para receber revela��o e testemunho)

� Alma 6:6; 17:9 (jejum pelos n�o-membros)

� Atos 13:2-3 (jejum para escolha dos oficiais da Igreja)

 

<< Cap�tulo 24

Sum�rio

P�gina Inicial

Cap�tulo 26 >>