O casamento � ordenado por Deus. O Senhor disse: "Todo o que pro�be o casamento n�o � ordenado de Deus, pois o casamento � ordenado por Deus para os homens." (D&C 49:15) Desde o princ�pio, o casamento tem sido uma lei do evangelho e deveria durar para sempre n�o apenas para esta vida mortal.

Ad�o e Eva foram casados por Deus antes que houvesse morte no mundo. Eles tinham um casamento eterno e ensinaram essa lei aos seus filhos e aos filhos dos seus filhos. � medida que os anos passaram, a iniq�idade entrou no cora��o das pessoas e a autoridade para a realiza��o dessa sagrada ordenan�a foi tirada da Terra. Com a restaura��o do evangelho, o casamento eterno foi reinstitu�do.

Muitas pessoas no mundo consideram o casamento apenas um costume social, um acordo entre um homem e uma mulher para viverem juntos. Entretanto, para os santos dos �ltimos dias, o casamento � muito mais do que isso. Nossa exalta��o depende do casamento. Cremos que � o relacionamento mais sagrado que pode existir entre um homem e uma mulher. Esse relacionamento sagrado afeta nossa felicidade hoje e afet�-la-� na eternidade.

O Pai Celestial deu-nos a lei do casamento eterno para que nos torn�ssemos como Ele. Devemos viver essa lei para podermos ter filhos espirituais. O Senhor disse:

"Na gl�ria celestial h� tr�s c�us ou graus:

E para obter o grau mais elevado, o homem precisa entrar nesta ordem do sacerd�cio (significando o novo e eterno conv�nio do casamento);

E, se n�o, n�o poder� obt�-lo." (D&C 131:1-3)

O casamento eterno deve ser realizado por algu�m que possua os poderes de selamento. O Senhor prometeu: "Se um homem tomar uma esposa (...) pelo novo e eterno conv�nio (...) por aquele que � ungido (...) estar� em pleno vigor quando deixarem este mundo" (D&C 132:19).

O casamento eterno n�o somente deve ser realizado pela autoridade apropriada do sacerd�cio, como tamb�m deve ser feito em um dos templos sagrados do Senhor. O templo � o �nico lugar onde esta ordenan�a sagrada pode ser realizada.

No templo, os casais SUD ajoelham-se em um dos altares sagrados, na presen�a da fam�lia, dos amigos e de duas testemunhas especiais. Eles fazem seus conv�nios de casamento diante de Deus e s�o declarados marido e mulher para esta vida e para a eternidade. Isso � feito por algu�m que possui o santo sacerd�cio de Deus e que recebeu autoridade para realizar esta ordenan�a sagrada. Essa pessoa age sob a dire��o do Senhor e promete ao casal as b�n��os da exalta��o. Ela os instrui a respeito das coisas que devem fazer para receber essas b�n��os, lembrando-lhes que todas elas dependem da obedi�ncia �s leis de Deus.

Se somos casados por outra autoridade que n�o a do sacerd�cio num templo, somos casados apenas para esta vida. Ap�s a morte, os c�njuges n�o t�m direito um ao outro nem aos filhos. O casamento eterno d�-nos a oportunidade de continuarmos a ter uma fam�lia ap�s esta vida.

Como santos dos �ltimos dias, vivemos para a eternidade e n�o apenas para o momento. Todavia, as b�n��os de um casamento eterno podem ser nossas agora, bem como por toda a eternidade.

As b�n��os que podemos usufruir nesta vida s�o as seguintes:

1. Sabemos que nosso casamento pode durar para sempre. A morte pode separar-nos apenas temporariamente. Nada pode nos separar para sempre, exceto nossa pr�pria desobedi�ncia. Esse conhecimento ajuda-nos a trabalhar mais arduamente para termos um casamento feliz e bem sucedido.

2. Sabemos que podemos ter nossos filhos conosco por toda a eternidade. Esse conhecimento ajuda-nos a sermos cuidadosos ao ensin�-los e trein�-los. Ajuda-nos tamb�m a mostrar maior paci�ncia e a mostrar amor a eles. Como resultado, temos um lar mais feliz.

Algumas b�n��os que podemos usufruir na eternidade s�o:

1. Viver no grau mais alto do reino celestial de Deus;

2. Ser exaltados como Deus e receber a plenitude da alegria;

3. Algum dia futuro, aumentar nossa fam�lia tendo filhos espirituais.

O Presidente Spencer W. Kimball ensinou que o "casamento � talvez a mais vital de todas as decis�es e tem os efeitos de maior alcance (...)� Afeta n�o somente as duas pessoas envolvidas como seus filhos e (...) os filhos dos seus filhos (...). De todas as decis�es, esta � uma que n�o pode ser tomada de maneira errada." Ele recomenda "(...) que todos os rapazes e mo�as planejem desde a inf�ncia casarem-se apenas no templo (...) e a manterem a vida sem m�culas, para que isso se realize." ["(...)The Matter of Marriage", discurso devocional, Instituto de Religi�o de Lago Salgado, 22 out. 1976.]

O Presidente Kimball tamb�m disse:

"Dizemos a todos os jovens, independentemente do pa�s onde vivam e dos h�bitos de sua terra, que o Pai Celestial espera que se casem para a eternidade e tenham uma fam�lia boa e forte.

� nossa esperan�a que seus pais os treinem (...) a fim de ganhar algum dinheiro e guard�-lo para sua miss�o e seu casamento (...)

Haver� um novo esp�rito em Si�o, quando as mo�as disserem aos namorados: `Sinto muito, mas embora eu o ame muito, n�o vou casar-me com voc�, a menos que seja num templo santo'." (Marriage-the Proper Way, New Era, fev. 1976, p. 4.)

O casamento eterno deve ser a meta de todo santo dos �ltimos dias, at� mesmo daqueles que j� se casaram no civil. Preparar-se para um casamento eterno exige muita medita��o e ora��es. Apenas os membros da Igreja que vivem retamente t�m permiss�o para entrar no templo (ver D&C 97:15-17). N�o podemos simplesmente decidir um belo dia que desejamos nos casar no templo e ent�o, naquele dia, entrarmos naquele local e nos casarmos. Precisamos antes preencher certas exig�ncias.

A fim de entrarmos no templo, precisamos ser membros ativos e dignos da Igreja por pelo menos um ano. Os homens devem ser portadores do Sacerd�cio de Melquisedeque. Precisamos ser entrevistados pelo presidente do ramo ou pelo bispo. Se formos dignos, ele nos dar� uma recomenda��o para o templo, do contr�rio, ele nos aconselhar� e nos ajudar� a estabelecer metas para que nos tornemos dignos de entrar no templo.

Uma vez recebida a recomenda��o para o templo, do bispo ou presidente do ramo, esta dever� ser assinada por um membro da presid�ncia da estaca ou pelo presidente da miss�o.

A seguir mencionamos algumas das perguntas que s�o feitas nas entrevistas para a obten��o de uma recomenda��o para o templo:

1. Voc� acredita em Deus, o Pai Eterno, e em Seu Filho, Jesus Cristo e no Esp�rito Santo? Tem um firme testemunho do evangelho restaurado?

2. Ap�ia o Presidente de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos �ltimos Dias como profeta, vidente e revelador? Reconhece-o como a �nica pessoa na Terra com autoridade para exercer todas as chaves do sacerd�cio?

3. Voc� vive a lei da castidade?

4. Paga um d�zimo integral?

5. Guarda a Palavra de Sabedoria?

6. � totalmente honesto nas suas transa��es com outras pessoas?

7. Esfor�a-se honestamente para cumprir seus deveres na Igreja; para assistir �s reuni�es sacramentais, do Sacerd�cio e outras; e para obedecer �s regras, leis e mandamentos do evangelho?

8. Voc� vive de acordo com os ensinamentos do evangelho?

Quando pedir uma recomenda��o para o templo, deve lembrar-se de que entrar no templo � um privil�gio sagrado. � uma coisa s�ria, n�o devendo ser encarada com leviandade.

Devemos procurar obedecer diligentemente a cada conv�nio que fazemos no templo. O Senhor disse que, se formos verdadeiros e fi�is, passaremos pelos anjos em nossa exalta��o. Tornar-nos-emos deuses (ver D&C 132:19-20). O casamento no templo merece qualquer sacrif�cio. � uma forma de obtermos b�n��os eternas jamais vislumbradas.

� G�nesis 1:26-28 (devemos multiplicar-nos e encher a Terra)

� G�nesis 2:21-24 (o primeiro casamento foi realizado por Deus)

� Mateus 19:3-8 (o que Deus uniu)

� D&C 132 (a natureza eterna da lei do casamento)

� D&C 42:24-26 (os votos do casamento devem ser mantidos)

� Jac� 3:5-11 (b�n��os pelo cumprimento da lei do casamento)

� Mateus 22:23-30 (n�o h� casamento na ressurrei��o)

 

<< Cap�tulo 37

Sum�rio

P�gina Inicial

Cap�tulo 39 >>