As escrituras dizem com freq��ncia que chegar� o dia em que nos colocaremos perante Deus e seremos julgados. Precisamos entender como ocorrer� o julgamento, a fim de nos prepararmos melhor para esse importante acontecimento.

As escrituras ensinam que todos n�s seremos julgados de acordo com nossas obras. "E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante de Deus, e abriram-se os livros; e abriu-se outro livro, que � o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras." (Apocalipse 20:12; ver tamb�m D&C 76:111; 1 N�fi 15:32; Abra�o 3:25-28.)

Nesta escritura, Jo�o, o Revelador, est�-se referindo ao Julgamento Final. Esse julgamento � o �ltimo de uma longa s�rie de julgamentos. Na vida pr�-mortal, a todos os esp�ritos considerados dignos foi permitido receber um corpo e vir � Terra. Aqui, somos freq�entemente julgados quanto a nossa dignidade para receber oportunidades dentro do reino de Deus. Ao sermos batizados, somos julgados dignos de receber essa ordenan�a. Quando somos chamados para servir na Igreja, ou entrevistados para um avan�o no sacerd�cio, ou para receber uma recomenda��o para entrar no templo, estamos sendo julgados.

Alma ensinou que quando morremos, nosso esp�rito � designado para um estado de felicidade ou mis�ria (ver Alma 40:11-15). Esse � um julgamento parcial.

O profeta Alma testificou: "(...) Nossas palavras nos condenar�o, sim, todas as nossas obras nos condenar�o (...) e nossos pensa-mentos tamb�m nos condenar�o" (Alma 12:14).

O Senhor disse: "Toda a palavra ociosa que os homens disserem h�o de dar conta no dia do ju�zo. Porque por tuas palavras ser�s justificado, e por tuas palavras ser�s condenado." (Mateus 12:36-37.)

Somente pela f� em Jesus Cristo podemos nos preparar para o Julgamento Final. Se formos disc�pulos fi�is de Cristo e nos arrependermos de todos os nossos pecados, podemos ser perdoados e nos tornar puros e santos a fim de habitar na presen�a de Deus. Ao nos arrependermos de nossos pecados, abandonando todos os pensamentos e a��es impuros, o Esp�rito Santo mudar� nosso cora��o de modo que n�o teremos nem mesmo o desejo de pecar. Depois, quando formos julgados, estaremos prontos para entrar na presen�a de Deus.

O Profeta Joseph Smith disse que os mortos ser�o julgados pelos registros mantidos na Terra. Seremos tamb�m julgados pelo "livro da vida" que � mantido nos c�us (ver D&C 128:6-8).

"N�s seremos julgados conforme o que est� escrito nos livros, conforme as revela��es de Deus, os registros dos templos e as coisas que o Senhor nos ordenou manter (...) Haver� o registro dos c�us que � um registro perfeito." (Joseph Fielding Smith, Doutrinas de Salva��o, 2:199)

Existe um outro registro que ser� usado para nos julgar. O Ap�stolo Paulo disse que o pr�prio homem � o mais completo registro de sua vida (ver Romanos 2:15; II Cor�ntios 3:1-3). A hist�ria completa de tudo o que fizemos est� armazenada em nosso corpo e mente. O Presidente John Taylor ensinou esta verdade: "[O indiv�duo] narra sua pr�pria hist�ria e presta testemunho contra si mesmo (...) Nesse registro escrito pelo homem nas placas de sua pr�pria mente-registro esse que n�o pode mentir-ser� um dia aberto perante Deus e os anjos e aqueles que se sentarem como ju�zes". [Daniel H. Ludlow, ed., Latter-day Prophets Speak (Profetas dos �ltimos Dias Falam), pp. 56-57]

O Ap�stolo Jo�o ensinou: "O Pai ningu�m julga, mas deu ao Filho todo o ju�zo." (Jo�o 5:22) O Filho, por sua vez, pedir� a outros que O ajudem no Julgamento. Os Doze que estavam com Ele em Seu minist�rio julgar�o as doze tribos de Israel (ver Mateus 19:28; Lucas 22:30.) Os Doze nefitas julgar�o os nefitas e os lamanitas (ver 1 N�fi 12:9-10; M�rmon 3:18-19). O Presidente John Taylor disse que a Primeira Presid�ncia e os Doze Ap�s-tolos em nossa pr�pria dispensa��o tamb�m nos julgar�o [ver The Mediation and Atonement (A Intermedia��o e a Expia��o), p. 157].

No Julgamento Final, ser-nos-� designado o reino para o qual nos preparamos. Seremos mandados para um dos quatro lugares a seguir: o reino celestial (o mais alto grau de gl�ria), o reino terrestre (o grau intermedi�rio), o teleste (o mais baixo grau de gl�ria) ou as trevas exteriores (o reino do dem�nio-que n�o � um grau de gl�ria).

Em Doutrina e Conv�nios 76, o Senhor descreveu de que forma podemos escolher viver na mortalidade e explicou que nossas escolhas determinar�o para qual dos quatro reinos estaremos preparados. Aprendemos por essa revela��o que at� mesmo os membros da Igreja herdar�o diferentes reinos, pois n�o ser�o igualmente fi�is e valentes na obedi�ncia a Cristo.

Na descri��o seguinte, relacionam-se os diferentes tipos de vida que podemos decidir ter e os reinos que herdaremos como resultado de nossas escolhas.

"Esses s�o os que receberam o testemunho de Jesus, e creram em seu nome e foram batizados (...) que, guardando os mandamentos, (puderam) ser lavados e purificados de todos os seus pecados e (receberam) o Santo Esp�rito." Estes s�o aqueles que sobrepujaram o mundo pela f�. S�o os justos e puros aos quais o Esp�rito Santo pode selar com suas b�n��os. (Ver D&C 76:51-53.) Os que herdarem o grau mais alto do reino celestial, e que se tornarem deuses, dever�o ser tamb�m casados para a eternidade no templo (ver D&C 131:1-4). Todos os que herdarem o reino celestial viver�o com o Pai Celestial e Jesus Cristo para sempre (ver D&C 76:62).

S�o aqueles que rejeitaram o evangelho na Terra, mas que o receberam depois no mundo espiritual. Eram pessoas honradas na Terra, mas foram cegadas para o evangelho de Jesus Cristo pelas artimanhas dos homens. S�o tamb�m aqueles que receberam o evangelho e um testemunho de Jesus, mas que depois n�o foram valentes. Eles ser�o visitados por Jesus Cristo, mas n�o pelo Pai Celestial (ver D&C 76:73-79). N�o ser�o parte de uma fam�lia eterna; viver�o separadamente e como solteiros para sempre (ver D&C 131:1-4).

Estes n�o receberam o evangelho nem o testemunho de Jesus Cristo na Terra nem no mundo espiritual. Eles sofrer�o por seus pecados no inferno at� depois do Mil�nio, quando ressuscitar�o. "Estes s�o os mentirosos, feiticeiros, ad�lteros e libertinos, e todo aquele que ama e inventa mentiras". Essas pessoas s�o t�o numerosas quanto as estrelas do c�u e as areias da praia. Ser�o visitadas pelo Esp�rito Santo, mas n�o pelo Pai nem pelo Filho. (Ver D&C 76:81-86, 103-6.)

S�o aqueles que ganharam testemunho de Jesus por interm�dio do Esp�rito Santo e conheceram o poder do Senhor, mas deixaram que Satan�s se apossasse deles. Negaram a verdade e desafiaram o poder de Deus. N�o h� perd�o para eles, pois negaram o Esp�rito Santo ap�s receb�-lo. N�o ter�o um reino de gl�ria, mas viver�o em trevas, tormento e mis�ria com Satan�s e seus anjos para sempre. (Ver D&C 76:28-35; 44-48.)

Na realidade, todo dia � um dia de julgamento. Falamos, pensamos e agimos de acordo com uma lei celeste, terrestre ou teleste. Nossa f� em Jesus Cristo, evidenciada por nossas a��es di�rias, determina que reino herdaremos.

Temos o evangelho restaurado de Jesus Cristo em sua plenitude. O evangelho � a lei do reino celestial. Todas as ordenan�as do sacerd�cio necess�rias para o nosso progresso j� foram reveladas. Entramos nas �guas do batismo e fizemos conv�nio de viver como Cristo. Se formos fi�is e guardarmos os conv�nios que fizemos, o Senhor nos disse qual ser� o nosso julgamento e nos dir�: "Vinde, benditos de meu Pai, possu� por heran�a o reino que vos est� preparado desde a funda��o do mundo." (Mateus 25:34)

� D&C 88:98-102 (o soar das trombetas do julgamento)

� Alma 11:41, 45; M�rmon 7:6; 9:13-14 (somos julgados num estado ressurreto)

� 2 N�fi 29:11; 3 N�fi 27:23-26 (livros usados no Julgamento)

� Alma 41:2-7 (nosso julgamento � determinado por nossas obras, desejos do cora��o, arrependimento e

   perseveran�a)

� M�rmon 3:22 (arrepender-se e preparar-se para se colocar diante do trono do julgamento)

� Lucas 12:47-48; D&C 82:3 (a quem muito for dado, muito ser� requerido)

� D&C 88:16-33 (cada um receber� o que merece)

 

<< Cap�tulo 45

Sum�rio

P�gina Inicial

Cap�tulo 47 >>