A FAM�LIA

PROCLAMA��O AO MUNDO

A PRIMEIRA PRESID�NCIA E O CONSELHO DOS DOZE AP�STOLOS

DE A IGREJA DE JESUS CRISTO DOS SANTOS DOS �LTIMOS DIAS

N�s, A PRIMEIRA PRESID�NCIA e o Conselho dos Doze Ap�stolos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos �ltimos Dias, solenemente proclamamos que o casamento entre homem e mulher foi ordenado por Deus e que a fam�lia � essencial ao plano do Criador para o destino eterno de Seus filhos.

TODOS OS SERES HUMANOS � homem e mulher � foram criados � imagem de Deus. Cada indiv�duo � um filho (ou filha) gerado em esp�rito por pais celestiais que o amam e, como tal, possui natureza e destino divinos. O sexo (masculino ou feminino) � uma caracter�stica essencial da identidade e do prop�sito pr�-mortal, mortal e eterno de cada um.

NA ESFERA PR�-MORTAL, os filhos e filhas que foram gerados em esp�rito conheciam e adoravam a Deus como seu Pai Eterno e aceitaram Seu plano, segundo o qual Seus filhos poderiam obter um corpo f�sico e adquirir experi�ncia terrena a fim de progredirem rumo � perfei��o, terminando por alcan�ar seu destino divino como herdeiros da vida eterna. O plano divino de felicidade permite que os relacionamentos familiares sejam perpetuados al�m da morte. As ordenan�as e os conv�nios sagrados dos templos santos permitem que as pessoas retornem � presen�a de Deus e que as fam�lias sejam unidas para sempre.

O PRIMEIRO MANDAMENTO dado a Ad�o e Eva por Deus referia-se ao potencial de tornarem-se pais, na condi��o de marido e mulher. Declaramos que o mandamento dado por Deus a Seus filhos, de multiplicarem-se e encherem a terra, continua em vigor. Declaramos tamb�m que Deus ordenou que os poderes sagrados de procria��o sejam empregados somente entre homem e mulher, legalmente casados.

DECLARAMOS que o meio pelo qual a vida mortal � criada foi estabelecido por Deus. Afirmamos a santidade da vida e sua import�ncia no plano eterno de Deus.

O MARIDO E A MULHER tem a solene responsabilidade de amar-se mutuamente e amar os filhos, e de cuidar um do outro e dos filhos. "Os filhos s�o heran�a do Senhor" 

(Salmos 127:3). Os pais tem o sagrado dever de criar os filhos com amor e retid�o, atender a suas necessidades f�sicas e espirituais, ensin�-los a amar e servir uns aos outros, guardar os mandamentos de Deus e ser cidad�os cumpridores da lei, onde quer que morem. O marido e a mulher � o pai e a m�e � ser�o considerados respons�veis perante Deus pelo cumprimento dessas obriga��es.

A FAM�LIA foi ordenada por Deus. O casamento entre o homem e a mulher � essencial para Seu plano eterno. Os filhos tem o direito de nascer dentro dos la�os do matrim�nio e de ser criados por pai e m�e que honrem os votos matrimoniais com total fidelidade. A felicidade na vida familiar � mais prov�vel de ser alcan�ada quando fundamentada nos ensinamentos do Senhor Jesus Cristo. O casamento e a fam�lia bem sucedidos s�o estabelecidos e mantidos sob os princ�pios da f�, da ora��o, do arrependimento, do perd�o, do respeito, do amor, da compaix�o, do trabalho e de atividades recreativas salutares. Segundo o modelo divino, o pai deve presidir a fam�lia com amor e retid�o, tendo a responsabilidade de atender �s necessidades de seus familiares e de proteg�-los. A responsabilidade primordial da m�e � cuidar dos filhos. Nessas atribui��es sagradas, o pai e a m�e tem a obriga��o de ajudar-se mutuamente, como parceiros iguais. Enfermidades, falecimentos ou outras circunst�ncias podem exigir adapta��es espec�ficas. Outros parentes devem oferecer ajuda quando necess�rio.

ADVERTIMOS que as pessoas que violam os conv�nios de castidade, que maltratam o c�njuge ou os filhos, ou que deixam de cumprir suas responsabilidades familiares, dever�o um dia responder perante Deus pelo cumprimento dessas obriga��es. Advertimos tamb�m que a desintegra��o da fam�lia far� recair sobre pessoas, comunidades e na��es as calamidades preditas pelos profetas antigos e modernos.

CONCLAMAMOS os cidad�os e governantes respons�veis de todo o mundo a promoverem as medidas designadas para manter e fortalecer a fam�lia como a unidade fundamental da sociedade.

Esta proclama��o foi lida pelo Presidente Gordon B. Hinckley como parte de sua mensagem na Reuni�o Geral da

Sociedade de Socorro, realizada em 23 de setembro de 1995 na cidade de Salt Lake City, Estado de Utah.

P�gina Inicial